Verão ou Inverno? Para os Neurônios que Controlam o Sono

O relógio atrasará uma hora de sábado a domingo. Pode ser a última mudança de horário, após os resultados da consulta pública realizada pela Comissão Europeia entre julho e agosto, na qual 80% dos participantes foram a favor da eliminação dessa mudança.

O Conselho Consultivo para Reforma do Tempo, promovido pela Generalitat, emitiu um relatório na semana passada, no qual solicitava que o inverno fosse mantido durante todo o ano por razões econômicas e de saúde.

No entanto, no campo neuronal, no entanto, qual dessas duas opções é a melhor? “Isso não tem impacto em nossos ritmos circadianos, mantendo um horário ou outro”, diz o professor de Ciências da Saúde da UOC, Diego Redolar.

O neurocientista explica que dois sinais alertam o cérebro que ele precisa se deitar: pressão do sono e relógios biológicos. No primeiro, o funcionamento do cérebro por horas faz com que ele acumule substâncias – algumas tóxicas – que devem ser eliminadas no final do dia.

«Um dos mais importantes é a adenosina; de manhã há muito pouco e no final do dia, muito. Quando um dos núcleos do hipotálamo recebe a informação de que existe muito, inicia o processo de iniciar o sonho ”, explica.

Quanto aos relógios biológicos, eles são condicionados pelos sinais recebidos do ambiente para saber quando é dia e quando é noite. «Existem vários, mas o mais estudado é a luz. Quando está ausente, envia informações para outro núcleo do hipotálamo, para que também inicie o processo de iniciar o sonho ”, afirma Redolar. Pessoas cegas – matiza – também têm ritmos circadianos; «É por isso que devemos insistir que a luz é apenas um dos estímulos que as regula».

Segundo Redolar, o primeiro sinal é muito difícil de parar, a menos que você tome café ou algum outro estimulante. Quanto à luz, o cérebro pode ser enganado. Por exemplo, se a televisão é assistida logo após o jantar ou um tablet ou celular é capturado, a luz recebida dos dispositivos ativa os neurônios e, portanto, é dito ao cérebro que é diurno e que não possui deitar

O especialista deixa claro que o inverno ou o verão podem afetar o “terreno emocional ou motivacional”.

Se o horário de verão fosse escolhido, muitas pessoas começavam o dia de trabalho quando ainda está escuro, uma vez que só amanhecia até oito e meia ou nove e meia. “Quando você está no escuro, você tende a ter um humor mais baixo, a não ficar tão alerta”, diz o professor.

Agora, ele insiste que não há repercussões nos mecanismos neuronais que controlam o sono. Lembre-se de que entre 20 e 30 minutos antes de acordar – desde que seja feito ao mesmo tempo – o cérebro libera uma substância, chamada cortisol, que prepara a pessoa para a atividade diária. “Isso explica que, se você sempre acorda às sete, no fim de semana acorda em um horário semelhante, a menos que tenha uma dívida dos sonhos”, detalha Redolar.

Em resumo, apesar dos fatores que controlam os ciclos do sono e de que nossos relógios biológicos são múltiplos e complexos, algumas evidências sugerem que, para alguns aspectos da saúde, o inverno pode ter mais benefícios que o verão.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *